Dois Elefantes

Não sei se hoje é ontem ou anteontemE do seu telefonema eu não vi nem a corExiste uma coisa que me dói perder, existeUma coisa que eu custei a ganharMeu rosto e teu rosto, rindoDois elefantes, no fundo do marMe falaram de um trem, eu fui pra estaçãoE do seu sorriso eu não vi nem a corExiste uma coisa que eu queria esquecer, existeUma coisa que me dói lembrarMeu rosto e teu rosto roxosDois elefantes sem respirarE o tempo, o tempoÉ um trem que custa a passarAlguém te viu rindo, eu tava longeUm elefante pra lá, outro pra cá

Leave a Comment

Categories